10 Mitos sobre a Indústria Musical no Brasil

Em Novembro do ano passado fiz este post aqui adaptando um post americano sobre 17 mitos da indústria musical de lá para a realidade brasileira.

Coisas sobre ser sucesso, fazer shows, entender como funciona o mercado atual, o uso da internet e tal.

O Marcos Lauro, editor da Billboard Brasil (onde também escrevo regularmente), gostou do post e resolveu dar um formato mais jornalístico ao post, e não só enxugou de 17 para 10 mitos, como convidou gente bacana do mercado para comentar cada um deles.

Então temos Zeca Baleiro, Arthur Fitzgibbon da ONErpm Brasil, Roberta Pate do Spotify, Arnaldo Saccomani, Rodrigo Mathias do festival Planeta Atlântida, Rick Bonadio, Miranda, o Henrique Portugal do Skank, Betho Ieesus do Suntrip Studio e o próprio Marcos dando seus pitacos sobre o que é verdade e o que não é no atual mercado musical brasileiro.

Por exemplo, o Miranda resumiu bem a vida do artista hoje em dia:

“Rolou uma discussão há algum tempo que era “artista = pedreiro”. Mas eu acho mais: “artista = padeiro”. Tem que comprar a farinha, contratar os funcionários, montar a loja, fazer pão todo dia…”

10mitos-miranda

Bom, o texto todo tá lá na Billboard pra quem quiser saber mais.

Tudo de bom,

Billy.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.