Realidade Virtual, uma ajuda para os paraplégicos

Já falei sobre o uso da Realidade Virtual na Medicina neste post AQUI. O trabalho começou nos anos 90, mas evoluiu muito de algum tempo pra cá devido ao desenvolvimento dos novos óculos e da tecnologia em si.

E todo mundo lembra na Copa do Mundo de 2014 o chute simbólico com o exoesqueleto desenvolvido pela equipe do Prof. Nicolelis.

gol

Agora, juntando essas duas infos, a gente sabe que o trabalho todo do exoesqueleto da equipe do Prof. Nicolelis tem ajuda da Realidade Virtual.

Vi na timeline do Jampa lá no FB.

Impressionante como nosso cérebro pode entender de forma diferente o que a gente tá vendo e sentindo.

Basicamente os médicos e cientistas emulam uma caminhada virtual. O paraplégico não volta a andar, mas consegue uma série de melhoras efetivas na qualidade de vida como o melhor controle das funções da bexiga e do intestino, por exemplo.

Tudo de bom,

Billy.

PS_ Em Novembro participarei novamente do Dutch VR Days, agora Europe VR Days. Aguardem novidades sobre o assunto VR, AR e afins. 🙂

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.