03/02/2011

Gravando o Podbility

Por admin

Vejam só.

O Podbility voltou !!!

Sim, o podcast mais querido do meio publicitário está em temporada nova.

Melhor ainda, agora com patrocínio do CPV Vestibulares e do Skub Ad Server.

Prá quem não sabe, nós aqui do Estúdio Mellancia é que fazemos a gravação, edição, masterização e finalização do áudio.

Até a entrega em mp3 para a Bullet é responsabilidade nossa. A versão AAC que vcs também encontram no site do Podbility é de responsabilidade deles.

E como fazemos prá gravar um monte de gente (no mínimo 6 pessoas) numa sala de reunião sem tratamento acústico ?

Bem no começo, quando a Gica ainda tinha cabelo loiro, eram só dois microfones cardióides e um Zoom H4.

E depois, até o final do ano passado, eu usava 3 microfones e o mesmo Zoom H4.

Resolvia, mas não dava 100% a sensação de espacialidade, nem a captação de todas as nuances de voz.

Alguma coisa se perdia.

Vinha muito barulho de fundo, e todo mundo sempre reclamava de um telefone e do burburinho que rolava ao fundo das conversas (por falta de isolamento acústico da sala de reunião e pela distância das pessoas ao redor da mesa, veja foto).

Apesar do resultado final ser bom, ou seja, todo mundo ouvia todo mundo na gravação, ainda faltava uma melhora. Era muita compressão e noise reduction prá conseguir a clareza necessária nas vozes.

Aí comecei a pensar numa forma de otimizar a gravação e a edição. Não só prá ter que limpar menos o áudio, mas prá manter o “clima” da sala o mais real possível, prá quem ouvir se sentir dentro da sala de reuniões junto com todo mundo.

A idéia de microfonar cada um dos participantes é tentadora mas cai nas seguintes barreiras:

-Se fosse microfone de lapela, teríamos um caos operacional e logístico. 1 mesa de som de 6 canais (mínimo), 6 lapelas e uma reza braba prá ninguém bater a mão no microfone, ou a roupa raspar e fazer barulho, etc, etc. Se tivéssemos mais um convidado não teria como captá-lo.

-Se fosse colocar 1 microfone prá cada um seria o mais lógico, mas aí eu perderia toda a nuance da sala, todo o clima do podcast. Além da confusão de fios e mesa de som, etc.

_____________________________________

A solução veio com a Sennheiser.

Expliquei toda a problemática da sala, da distância das pessoas, de tudo isso q vc leu aí em cima, pro Paulo, diretor de MKT para América Latina.

Ele passou tudo pro povo da fábrica na Alemanha.

E me recomendaram e mandaram dois HHB Flash Mics.

O que são os Flash Mics ?

São microfones que gravam os arquivos dentro deles mesmos, numa memória Flash com capacidade para até 18 horas de gravação (em mp3).

Exatamente como uma camera fotográfica digital.

A captação deles é omnidirecional, ou seja, o “desenho” de captação é este primeiro da figura abaixo:

Ou seja, ele capta muito mais som num espaço muito maior do que os anteriores, que eram cardióides (terceira figura da esq. p dir.)

Quem usava muito isso eram os Beatles, prá um olhar na boca do outro e cantar “em sync” enquanto gravavam:

E a disposição dos dois microfones na mesa do Podbility é justamente prá emular um ouvido humano de frente para todo mundo que está falando.

Eu ainda montei um cabo que me manda os dois sons captados em cada microfone nos canais L/R do fone de ouvido.

Assim monitoro tudo que acontece durante a gravação.

Pronto.

Depois é “só” editar, arrumar, cortar, copiar, colar, mixar, gravar as locuções de abertura, montar, finalizar, masterizar e entregar.

Tudo de bom,

Billy.